Um rio nasce do nada, tal como as estrelas são douradas e o fogo é incandescente. A água corre, enrola-se e serpenteia. Da nascente até à foz. A vida inteira.

Para pensar

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Por ti



Por ti
faço nascer outro mundo,
apago os cigarros no lume
e ateio outras fogueiras.
Escrevo em todas as cores
Deito-me num manto de flores
e esqueço aventuras, saudades
sem fim.
Por ti
poderei acabar sem vida
na incerteza de um amor
no rio-sangue das veias.
Para sempre irei viver
se souber que qualquer dia
tu saberás do que sou capaz
para te ter.

Alexandre Reis (J8)

4 comentários:

serenidade disse...

Por ti,
deixo meus sonhos para seguir os teus,
agarro meus sonhos para que sejam teus,
sonho na noite da tempestade,
adormeço no dia chorando saudade.

Lindo.

Serenos sorrisos

luciamachado disse...

Parabens
Adorei os seus poemas...
Como escreve bem :)

se quiser visitar o meu simples espaço...
Fica o convite

http://luciamachado31.blogspot.com/

impulsos disse...

Por ti
E para ti
Cheguei até aqui!
E o que li?
Algo muito belo escrito por ti!!
O pormenor dos links das imagens, dá-lhe um toque muito especial e pessoal.
Parabéns, gostei imenso.

Beijinho

Alexandre Reis disse...

Quanta simpatia! Nem sei que dizer. Não se esmerecem nos elogios, por favor. Até versejam para mim. Obrigado.

Plenos sorrisos. :)